quinta-feira, 26 de abril de 2007

Le Chat Noir

Le Chat Noir foi um famoso cabaret do século XIX na grande e boémia Montmartre, em Paris. Rodolphe Salis abriu as portas do cabaret a 18 de Novembro de 1881 na 84 Boulevard Rouchechouart. Mais tarde, em 1897, e para desagrado de muitos artistas como Picasso que o procurarm aquando das suas exposições em 1900, Le Chat Noir encerrou as suas portas.
Durante 16 anos o cabaret funcionou ao mesmo tempo como night-club, music hall (com um piano ilegal!) e salão artístico ou para artistas. Na vanguarda da arte parisiense, Le Chat Noir publicava o seu próprio jornal. Esta publicação ganhou muita popularidade e foi aí que o "Salão das Artes Incoerentes", as "Peças nas sombras" e os monólogos cómicos começaram.
De acordo com Salis, Le Chat Noir "é o cabaret mais extraordinário de todo o mundo. Aqui convive-se com os homens mais famosos de Paris e conhece-se gente de todos os cantos do mundo".
Entre os famosos da época associados ao cabaret encontram-se Adolphe Willette, Caran d'Ache, André Gill, Emile Cohl, Paul Bilhaud, Paul Verlaine, Henri Rivière, Claude Debussy, Erik Satie, Charles Cros, Jules Laforgue, Charles Moréas, Albert Samain, Louis Le Cardonnel, Coquelin Cadet, Emile Goudeau, Alphonse Allais, Maurice Rollinat, Maurice Donnay, Armand Masson, Aristide Bruant, Paul Signac, Yvette Guilbert, August Strindberg, and George Auriol.
Espalhadas por todo o mundo há várias versões deste cabaret tais como em St. Petersburg "The Stray Dog", em Barcelona "Els Quatre Gats", ou até mesmo o "Black Cat" cafe na cidade Corfu, Grécia.

Hoje em dia o cabaret é mundialmente conhecido devido ao seu icónico poster, de Théophile-Alexandre Steinlen

2 comentários:

lua de inverno disse...

e eu em paris daqui a uns meses, minha linda? vais lá ver-me, sim?

[i mog di.]

*

Daniela disse...

Claro que vou!!! Paris, je t'aime!

Et a tois aussi ma chére Lune***