quinta-feira, 17 de maio de 2007

escritor


Fernando Pessoa disse que o Poeta é um fingidor. Arturo Perez-Reverte lembra o poder da palavra enquanto veículo de expressão das nossas ideias e criações: o discorrer da imaginação. Confesso que já me senti mais inspirada para a escrita criativa, mas enquanto este bloqueio não passa, continuo a ler. A ler o que estes senhores escrevem e muito bem. Este foi descoberto através da Vanina, uma grande leitora :)
...

Arturo Pérez-Reverte (Cartagena, Espanha, 1951) é escritor e jornalista. Como repórter de guerra, cobriu a maior parte dos conflitos bélicos que tiveram lugar entre 1973 e 1994. Escritor de grande êxito, está traduzido em 29 idiomas.É autor de uma extensa obra que com frequência foi adaptada ao cinema. Desde 2003 é membro da Real Academia Espanhola.

Bibliografia ASA

O Capitão ALatristeo
Cemitério dos Barcos sem Nome
Limpeza de Sangue
O Hussardo
O Mestre de Esgrima
O Pintor de Batalhas
A Rainha do Sul

2 comentários:

Vanina disse...

Arturo Perez-Reverte tem sem dúvida o poder da palavra, de nos envolver nos cenarios que descreve, de nos tornar espectadores semi-presentes na acção que por palavras se desenrola...
E enqt o bloqueio criativo não me passa (a mim tb...) ao menos vou sendo uma leitora (mais ou menos) atenta... ;)
***

Daniela disse...

Não tivesses tu tantos livros à mão!!!! lol és grande leitora e com bom gosto :p

kiss*