terça-feira, 26 de junho de 2007

.

Na hora da morte todas as metáforas são inúteis. A morte não se classifica. A perda não se mede. A dor não se explica. Tudo o que se possa dizer agora sobre ti é inútil. É o mais duro dos fins, porque não tem volta. Não é infeliz, é triste. Profundamente triste. É a impotência dos sentimentos a lutar contra a fatalidade dos raciocínios. É saber mas não aceitar, no meu íntimo, que nunca mais te verei. Nunca mais. É saber que os últimos momentos foram aqueles. É ter sentido o teu corpo febril e a seguir ter beijado a tua morte, gelada, nesse mesmo corpo que já não era teu. É ter visto a terra desabar sobre ti. É não conseguir dizer adeus.

3 comentários:

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

*yaras_rain* disse...

Nestes momentos não consigo dizer nada, fico sem palavras, solidaria e sentidamente triste por ti, por tudo...doi-me a alma, sinto um aperto no coração que fica mais pequeninho só com as tuas palavras... Às vezes quando nada sabemos dizer mais vale o silêncio... Estou contigo, espero que o saibas* Abraço forte do mais fundo do meu fundo*

Baudolino disse...

Já não cheguei a horas de dizer adeus. O helicóptero foi mais rápido que o meu carro a lá chegar. Apenas senti o calor que ainda restava. Tudo o resto fica para sempre, sem metáforas...
Um abraço